segunda-feira, 21 de junho de 2010

Eu gosto de Dunga!


Sempre tive uma simpatia por Dunga. Acho ele sério. Como tem que ser um cara com a responsabilidade dele, que é formar uma equipe para jogar no maior evento esportivo do mundo e representar Brasil. Não é uma tarefa nada fácil. Precisa ter olhos de raio x para ver além, ver cada um na sua profundidade. Deve ser um trabalho de observação constante. Fico imaginando como se comporta uma pessoa que tem o peso desses ao assistir um dia ao programa de Adriane Galisteu quando ela recebeu Vampeta, o jornalista e médico Osmar de Oliveira, Maurício, do vôlei e Gilmar Rinaldi, empresário de vários jogadores como Adriano, e ex-jogador. A pauta era: “entender o comportamento de alguns atletas que brilham no esporte, mas não sabem administrar a vida pessoal e se envolvem em muitas polêmicas.” Bem, entre muitas coisas que foram ditas, foi dito que no final de cada jogo tem muita cerveja no vestiário e todos sabem disso. Nada contra cerveja. Uma cervejinha gelada é muito bom. Porém...Ela tem a sua hora. Imagina aí se eu lá no Aracati vi esse programa, claro que Dunga, ou viu, ou alguém contou a ele. Enquanto nomes de atletas se envolvem em polêmicas na vida pessoal e atingem o profissional, existem aqueles que primam e se esforçam em levar uma vida adequada a um atleta. Imagina aí os olhos de Dunga numa hora dessa?
Eu não entendo de futebol, mas meu filho entende tudo e não gosta do estilo Dunga. Convivo com ele e suas opiniões diariamente. Ele gosta tanto de futebol que quando fomos em São Paulo tive duas opções: Estádio do Morumbi ou Estádio do Pacaembu. Sem alternativas fui nos dois e gostei. No Morumbi ficamos no bar do São Paulo, muito bom e no Pacaembu conheci o Museu do Futebol, recomendo os dois a todos.
Bem, quero dizer que mesmo convivendo com o entendimento do meu filho - e é muito - e respeitando sua opinião, ainda gosto do estilo Dunga. No dia da convocação da seleção eu disse: gostei de Dunga, ele foi retado, fez a parte dele. Recebi muitas críticas. Continuo gostando de Dunga, mesmo sendo uma exceção. E hoje vejo que não estou só quando leio esse primoroso artigo do jornalista do jornal o Povo, Plinio Bortolotti:
Concordo em número, gênero e grau. Mesmo sabendo do carão que vou levar do meu filho, Alex!


“Meu artigo publicado na edição desta quinta-feira do O POVO. Estou preparado para levar as pauladas.
Eu simpatizo com Dunga
Plínio Bortolotti
Vou logo avisando. Nada entendo de futebol, não torço para nenhum time, no Brasil ou no exterior. Desconheço a diferença entre um lateral e um volante.
Fico mais indignado quando cai uma criança de um pau-de-arara, que os prefeitos do interior apelidam de “transporte escolar”, do que quando a seleção brasileira de futebol perde uma Copa do Mundo.
Dito isso, quero confessar o seguinte: eu simpatizo com Dunga, o mal falado técnico do scratch canarinho. Apresentam Carlos Caetano Bledorn Verri como um sujeito bronco, sem imaginação: discordo. Dunga é um sobrevivente e os sobreviventes são pragmáticos, mas nem por isso deixam de sonhar – e sonham alto.
Uma das partes pouco divulgadas na entrevista coletiva em que os escolhidos foram dados a conhecer à Nação, foi aquela em que Dunga comparou-se a um escravo, que leva chibatadas nas costas, mas não as sente, pois sua mente está projetada para o futuro, para a liberdade.
Dunga, como Garrincha, nasceu para dar errado. Mané tinha as pernas tortas; o pequeno Carlos, grossas demais para o futebol. A diferença é que Garrincha tinha talento quase sobrenatural, que é uma dádiva. Os deuses do futebol negaram graça igual a Dunga, mas deram-lhe outro dom: a vocação. Um recurso poderoso quando incorporado a sujeito obstinado, que se impõe disciplina férrea em nome do objeto do desejo.
Dunga, nos gramados, foi como aquele soldado no campo de batalha, que corre todos os riscos para o general brilhar nos dias de festa. Enfrentou o fogo cerrado estoicamente – e deu o troco. No comando, sem medo, chama para si toda a responsabilidade.
Todo mundo, até eu, sabe o nome de Robinho, Ganso e Neymar, mas quantos sabem quem são jogadores da linha de defesa do Santos, garantindo que o time não tome dois gols a cada tento que os seus olimpianos marcam?
“Quem cozinhava o banquete das vitórias?”, perguntaria Brecht, “Tantas histórias, quantas perguntas”.

Fonte: http://blog.opovo.com.br/pliniobortolotti/eu-simpatizo-com-dunga/


6 comentários:

Alex disse...

Não tenho carão a dar minha mãe, os dois comentaram q não entendem de futebol. :D Tem gosto pra tudo nessa vida, até pra gostar de Dunga! :/

Anônimo disse...

Concordo com você, Eliane, e com o jornalista, sobre as qualidades pessoais de Dunga.
Mas concordo com seu filho Alex sobre a falta de qualidade do jogo da seleção de Dunga.
Prefiro perder a Copa, mas tem o prazer de ver uma boa partida de futebol.
Detesto ficar uma hora e meia diante da TV para ver um espetáculo chinfrim como têm sido as partidas da nossa Seleção, onde até gol com as mãos é celebrado.
E para não perder a oportunidade: "Cala a boca, Galvão!" kkkkkkkkk

Tony pachecO (Salvador, Bahia)

Anônimo disse...

Eu concordo com Eliane e o Jornalista, apesar de entender que nossa cobrança é em cima do futebol arte. Agora eu sou daqueles que prefiro ser um vencedor, pois esse é o grande objetivo do Dunga, que sabe se sua equipe não conquistar a copa, mesmo que jogue um futebol espetacular, mesmo assim será sacrificado. Fico com os que lutam com seriedade. Hoje eu fico a pensar: Pq que as pessoas acham sempre que o que está errado está certo e o que está certo, é que tá errado? Será que ser sério nesse pais, é coisa sem valia. Valeu Dunga, vc é um vencedor.

Marlla Farias disse...

O problema do Dunga não é a seriedade ou a escolha certa ou errada dos jogadores.
Não é isso que importa... não mais agora que a Copa já começou.
O problema do Dunga é o fato de ser mal humorado, de ser grosseiro.
Todo mundo tem dias ruins e tem pessoas na carreira, principalmente, que não gostariamos de ver pintado. Mas daí se exaltar e mais, xingar, não é atitude de técnico e nem de quem tá no comando. Ele ganha [e muito bem, diga-se] para fazer o trabalho dele.
Não vou bancar a "caretinha", mas acho, sinceramente, que tudo tem sua hora e momento certo.

Ielva Stela disse...

Concordo com os dois. Eu tb gosto do Dunga e, mesmo que não gostasse, digo que ele merece ser respeitado.

Jorge disse...

Eita mulher retada,essa é minha amiga Lica, sempre disposta a brigar por suas ideias.e esse é meu sobrinho Alex, com a personalidade da Mãe ditando suas ideias e acreditando nelas, eita dupla boa de se ver.
A! sim! o Dunga né? esqueci,ô carinha rabujento.joquei muinta bola e sei que a alegria do futebol esta no sangue do brasileiro,só falta isso, é tão simples minha amiga ALEGRIA SER FELIZ,ai é só correr pro abraço.
Falar nisso abraço e beijo em seu coração,pra vc tambem meu sobrinho.