quinta-feira, 22 de maio de 2008

Oh Linda!!!!

O mar e as falésias, beleza única

Chalé da Oh Linda Pousada
Praia de Redonda, vista da Pousada

Oh!Linda!
O nome da pousada no município de Icapuí, e é extamente essa exclamação que fazemos ao nos depararmos com tamanha beleza da paisagem e o aconchego da pousada, é um cojunto perfeito para o deleite. Mais um encanto dos cantos do Ceará.
Eliane

88) 3432-3025
(88) 9994-8525

Ou utilizando-se do correio eletrônico:
geraldo@ohlindapousada.com.br

terça-feira, 20 de maio de 2008

Icapuí e seus encantos

O mar e as falésias, inigualável!
Hotel na Praia de Barreirinha, muito bom!
Vista de Icapúí



O Ceará tem recantos belíssimos, alguns mais divulgados e por isso mais conhecidos. Dessa vez vou falar do município de Icapuí, que para mim é o litoral mais bonito do Estado. É formado pelas praias de: Retiro Grande, Ponta Grossa, Redonda, Peroba, Picos, Barreiras, Barra Grande, Placa, Tremembé e Arrombado, cada uma com seus encantos, águas calmas, o labirinto das falésias chama atenção. O lugar se diferencia por não ter um turismo agressivo, mas aquele que estebelce convívio com a comunidade local, que permeia os lugares com delicadeza. Quem tiver oportunidade não deve deixar de conhecer. A cidade de Icapuí mantém sua identidade em cada canto. Vale a pena!!! Recomendo!
Eliane

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Estudantes de Turismo


Caso precisem de ajuda em trabalhos acadêmicos entrem em contato: elianecurvello@bol.com.br - Possuo vasta e diversificada biblioteca, publicações sobre Turismo, inclusive jornais antigos com matérias sobre vários segmentos da atividade.
Eliane

domingo, 18 de maio de 2008

Saudades do acarajé


Hoje acordei com uma vontade danada de comer acarajé!!! E comeria sem nenhum peso na consciência, logo 2 de vez!!! Nem iria me preocupar com calorias e similares, já não me preocupo diariamente, imagine hoje!!! De tanto falar em Dinha do acarajé, de escrever sobre Dinha, de ver um tabuleiro de acarajé no blog de Duda Mendonça!!! Ahhhhhhhhhhh isso é muita tortura, aqui distante dessa maravilha. Porque acreditem: acarajé só é bom na Bahia!! Em outros lugares nunca sai igual. Principalmente aqui em Fortaleza, onde o Ceará foi o prmeiro lugar no Brasil a dar a libertação dos escravos - calma - não imaginem coisas, nada de bonzinho!!! A libertação foi porque aqui não havia a cultura da cana de açúcar como em Pernambuco e na Bahia, então manter os escravos era prejuízo, aí mandaram embora e, assim os libertaram. Bem, resultado disso tudo: no Ceará a cultura africana quase não existe e morremos de saudades de tudo e principalmente do acarajé!!
Eliane

sábado, 17 de maio de 2008

Casa de Chico Mendes Patrimônio Nacional


"O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) oficializou o tombamento da Casa de Chico Mendes como patrimônio histórico nacional, após uma reunião realizada em Belo Horizonte. O tombamento da Casa de Chico Mendes foi solicitado em 16 de agosto de 2006. A Casa de Chico Mendes está localizada na cidade de Xapuri (AC) e abriga um acervo do líder de seringueiros assassinado a tiros em dezembro de 1988. De acordo com o departamento de comunicação do Acre, o local já tinha sido tombado como patrimônio histórico do estado em 2006. Trata-se de uma pequena casa de madeira, onde Chico Mendes morou e foi assassinado".

Zélia Gattai

O abraço de nossa queridíssima Dadá, em Paloma Amado, filha de Zélia.
É o AMOR!!!

Aí meu Deus! Outra grande perda na Bahia: Zélia Gattai. O bairro do Rio Veremelho está de luto. Ontem a baiana de acarajé Dinha, hoje a Rua Alagoinhas nº 33, residência de Zélia e de Jorge Amado, endereço frequentado por artistas e intelectuais, no mesmo bairro, hoje já não abriga mais a sua moradora mais querida e amada por todos. Zélia e Jorge Amado concretizaram o encontro de alma gêmeas. Agora devem se encontrar em outro plano. Mas deixaram além de todas as publicações, a maior lição, a do amor!!!
Eliane

Sobre a morte de Zélia Gattai:

Os Amados se encontram no céu...
Vá em paz Zélia, seu Jorge lhe espera de braços abertos.
Duda Mendonça - Fonte:http://www.blogdoduda.com.br/

Ficamos amigas por causa de Jorge Amado. Ele tinha muita ligação com Zeca e achava Caetano extraordinário. Zélia era muito agradável e atenciosa. Era amiga mesmo, e quando me via fazia questão de ficar junto de mim. Considerava muito ela e os filhos. Mas ela descansou do sofrimento, que para mim é pior que a morte”.
Dona Canô Matriarca dos Velloso

Zélia Gattai foi uma escritora de grande sensibilidade. Uma pessoa por quem aprendi a ter todo o apreço, por seu amor por Jorge Amado e pela Bahia; pelo significado de seu trabalho para a mulher e para a literatura brasileira”.
Gilberto Gil, ministro da Cultura
Fonte: Correio da Bahia


Depoimentos sobre Dinha

“Toda perda é dolorosa. Ela contribuiu muito para a cultura baiana, era muito cuidadosa no tratamento da massa do acarajé, aliás, de todo o processo, desde a elaboração até a venda. A qualidade fez com que o sucesso fosse percebido – pelo menos aqui, o acarajé venceu o cheeseburger”.
Gerônimo, cantor e compositor

"A Bahia perde um dos seus melhores acarajés. Se hoje é dia de luto na Bahia, com certeza vai ter festa no céu, com trio elétrico e tudo. Um aviso a São Pedro: a pimenta dela arde pra caramba”.
Duda Mendonça, publicitário

“O acarajé da Dinha é tão gostoso quanto o jeitinho que ela tinha, pura delícia da Bahia, vai ficar para sempre em nossa memória”.
Ivete Sangalo, cantora

"Eu perco uma amiga de muitos anos e a Bahia perde uma personalidade tão deliciosa quanto os seus acarajés”.
Nizan Guanaes, publicitário
Fonte: Correio da Bahia

Significado do Tabuleiro de DINHA


O significado da presença e a ausência de Dinha:
Toda vez que chego à Salvador existem lugares que não posso deixar de ir, pelas relações de sentimento como por exemplo, a casa da minha avó, a casa da minha irmã, Igreja do Bonfim é claro, para receber as bênçãos do senhor do Bonfim. São vários os lugares e entre eles está a Praça do Rio Vermelho, onde encontra-se o tabuleiro de acarajé de Dinha.
Os baianos que convivem diariamente com muitos tabuleiros de baianas, espalhados em toda Cidade, talvez não percebam a importância de cada um deles. Existe uma afirmação clássica no Turismo: para conhecer sua cultura você precisa sair dela. E é a mais pura verdade. Ninguém vai sentir falta do acarajé se todos dia você tem ele.
Vejamos o que acontece em quase todos os lugares:
A globalização se expressa deixando os lugares iguais, com os mesmo hábitos. A televisão, os computadores, escravizam e enclausuram as pessoas, e para completar o quadro existem os Shopping’s Center’s, com suas iluminadas praças de alimentação, que não precisa ser um expert para ver claramente que todas são similares, com espaços demarcados por restaurantes e lanchonetes, estimulando o individualismo, onde as pessoas chegam, escolhem o local, fazem o pedido, comem e vão embora, muitas vezes para voltar para a Tv e o computador. Quando não pedem comida em casa ou comprem os alimentos industrializados.
Agora vamos retornar aos tabuleiros da baianas, e em especial ao de Dinha, que consegue agregar.
O acarajé mesmo sendo o protagonista do espaço, muitas vezes sai de cena, e o espaço é utlizado para a contemplação da paisagem do mar do Rio Vermelho, ao encontro com as pessoas, à conversa do dia a dia.
O tabuleiro de acarajé de Dinha, não se restringe à venda de acarajé, ele traz hábitos antigos, traz de volta o hábito da Praça, um universo que une as pessoas, estimula uma relação saudável com a cidade, porque resgata a importância das relações sociais.
Dinha é um marco, um ponto turístico e do cotidiano, o seu falecimento não pode se configurar na sua ausência, de maneira nenhuma, que seus descendentes continuem com que ela fazia de melhor além do acarajé, que é representar tão bem a identidade cultural da Bahia através do seu tabuleiro.
Para finalizar, umas das coisas que sinto mais falta aqui em Fortaleza são os encontros final da tarde no “acarajé de Dinha”.
Eliane

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Picoleishon Patrimônio de Itaparica



Os patrimônios materiais e imateriais são atrativos que desenham a localidade. Viajar pela Bahia é sem dúvida trilhar um caminho onde nos deparamos com os dois patrimônios o tempo inteiro.
Andamos entre igrejas, museus, praias, lagoas, terreiros, baianas de acarajés, berimbau, tambores do Olodum, que se misturam entre o novo, o antigo, a criatividade e a irreverência.
Nesse universo de personagens está “Picoleishon” - da Ilha de Itaparica, que se destaca facilmente na bela paisagem da ilha, vendendo seus picoleishons, usa um chapéu enorme, óculos escuros e criou um vocabulário próprio. Seus clientes se tornam amigos no primeiro contato.
Picoleishon representa de maneira divertida e feliz o verdadeiro patrimônio e atrativo da ilha de Itaparica.

Sua irreverência e criatividade fez com que fosse entrevistado no programa do Jô, através da nossa queridíssima amiga, cliente e fã, Tereza Coelho, moradora da ilha que tanto fez que, Picoleishon foi até lá mostrar seus “dotes”.
Segue a música que ele canta para vender os picolés:
Picolé Legal
É da fruta Natural
É de doce não de sal
Faz bem não faz mal
Se não quiser um picolé então tchau!!!!
ahhahahahahhah tem mais:
PICOLEISHON È O MELHORZATION! ahahahahahahahaha grita HUUUUU no meio da praia vendendo seus PICOLEISHON
de: limoneishonion, uveishonon, laranjeishon, todos os saboreishons é tudo picoleishion!
Quem for a ilha de Itaparica precisa conhecê-lo.
Na foto ele está com Daniela Mercury, mais uma que caiu no seus encantos!!!
Ele tem uma comunidae no orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=638140
Picoleishon é maravilhoseishon!!!!
Eliane

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Saída da Ministra Marina Silva

Estou triste com a saída da Ministra Marina Silva. Quem perde somos todos nós e especialmente o meio ambiente. Uma pessoa que se irmanou com as causas de Chico Mendes, que teve toda sua trajetória fincada em princípios éticos. Perde o Brasil e consequentemente o Turismo.
Eliane

Garçom Humorista ou "Humorístico"?



Para quem não sabe sou baiana e moro em Fortaleza. As minhas amigas da Bahia amam vir para Fortaleza. Certa vez vieram quatro, Mara, Lú, Janete e Sandra. Bem, todas queriam assistir a um show de humor. Quinta-feira aqui em Fortaleza é conhecida como a Quinta do Caranguejo. Todas as barracas de praia da Praia do Futuro abrem noite para degustação do crustáceo. Algumas com show de humor.
Escolhemos uma - que por razões óbvias, não vou citar o nome, mas era uma bem concorrida por causa do show de humor. Tínhamos que chegar mais cedo para encontrar um lugar bom.
Assim fizemos -  já estava lotada - encontramos uma mesa bem longe do palco e do bar. Sentamos e chamamos o garçom.
Minha amiga Mara pediu uma caipirosca. Quando ele trouxe:
Janete - Uma cerveja, por favor!
Garçom – Poxa! Porque a senhora não pediu logo com a caipirosca!?
Todas na mesa – Olharam uma para outra espantadas, sem entender!
Ele saiu esperar o próximo pedido, quando voltou:
Lu – O senhor nem esperou a gente fazer os pedidos, eu queria uma coca-cola, e...
Garçom interropendo Lú
Garçom: Poxa!!! Assim não dá! Eu vou lá em baixo e vocês ficam pedindo de "conta gota"!
Todas na mesa: muitas risadas, sem acreditar!
Garçom: digam logo de vez!
Todas na mesa: Ninguém conseguia fazer o pedido de rir! Mas fizemos...
Quando ele voltou para trazer os pedidos, Mara reclamou:
Mara – Olha essa caipirosca não é com vodka é com cachaça, eu queria que o senhor trocasse!
Garçom – Valha! Deixe eu provar!
E provou no copo de Mara
Todas na mesa – Uma completa risadaria!
Janete – olhe, eu percebo que o senhor não anota nada, nenhum pedido! (Janete amou pegar no pé do garçom, para piorar e melhorar a situação kkkkk)
Garçom – Não precisa não dona, tenho tudo na cabeça, por isso que digo para vocês pedirem tudo de vez, porque já trago junto com a mesa vizinha!
Todas na mesa – kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, já estávamos achando estranho ele gravar só o nosso! Imagine o da mesa vizinha! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Graçom - Voces pensam que sou "humorístico" é? "Humorístico" é o show!!!
Comentário de Janete sobre o Garçom:
Janete – olhe o Garçom está melhor do que o show de humor!
Passamos a noite toda nisso e muitas risadas. No final nem reclamávamos mais, porque ele virou uma piada!  Quando pensávamos que tudo havia acabado, ele sai para finalizar com uma pérola:
Pedimos a conta
Garçom – O que voces consumiram, diga aí!
Bem abusado, enfezado, como se fosse uma função nossa!
Todas na mesa - kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk mil vezes kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!
Janete – O senhor não disse que não anotava porque gravava tudo!?
Garçom – Não dá pra gravar tudo não dona, diga aí o que foi!
Enfezado ainda!
E pegou o bloquinho e foi anotando a gente dizer.
No meio a muitas risadas, inclusive da mesa vizinha, fomos dizendo.
Final da noite: o Garçom foi melhor que o show de humor, nos divertimos a valer e ainda demos uma goooordaaaaaaaaa gorjeta a ele por isso, porque ele era natural, espontâneo. E no final ele ainda olhou a gorjeta e disse: ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh tá!
Como se fosse nossa obrigação!
Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk novamente!!!!
Essa história já tem 8 anos, e sempre quando nos encontramos lembramos e damos muitas risadas! Ele foi o máximo!
Eliane




Bruno Mazzeo, imperdível!!!


Bruno Mazzeo, imperdível!!!
Minha gente, um dos melhores blogs, meu favorito sem dúvida nenhuma, é o blog de Bruno Mazzeo: http://www.bloglog.globo.com/brunomazzeo/#
Ele consegue fazer um humor com o cotidiano. Coisas que todo mundo faz, que todo mundo pensa e muitas vezes não sabemos nos experessar, alguns posts: EX-BBB POR VOCAÇÃO, MAU GOSTO NÃO SE DISCUTE, DEIXA SOLTO! São algumas das suas obras de artes escritas no blog.
Se voce quer dar risada, muita risada, com humor inteligente entre no blog e bons risos!!!
Eliane

terça-feira, 13 de maio de 2008

Turista Chato, cuidado para não se tornar um!!!!


Não existe nada mais chato que um turista chato. Ele é facílimo de ser identificado. Ele acha defeito em tudo. Não importa em que lugar esteja. Pode estar no Louvre ou no interior mais desconhecido do mundo ele sempre terá algo para depreciar.
A chatice dele inicia quando sai de casa, reclama de tudo. Ao chegar no destino escolhido, o primeiro sinal: tudo que ele ver na cidade dele tem melhor.
Por exemplo: ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh essa praia daqui não é tão boa assim, a da minha cidade é melhor...
Nem tente perguntar porque, ele irá responder alguma coisa sem nexo, tipo assim: lá é praia mesmo!
Tudo que ele pagar será caríssimo. Vai achar que todo mundo naquele lugar explora, e só ele sabe ganhar dinheiro honesto. Fora ele todos são ladrões e vai dizer o bordão dos turistas chatos: “não sou besta para ser explorado, estou vendo tudo”.
O hotel que ele se hospedar terá milhões de defeitos. Se ele não achar nenhum, ele vai culpar o sobrenatural, vai ver fantasmas. Aí vai perguntar na recepção: o hotel aqui fica próximo a algum cemitério? Todos os dias vejo fantasmas nos corredores....
Se estiver com a família ele também será chato! A mulher e os filhos não podem ter nenhuma vontade só a dele! Até as comidas tem que ser a que ele gosta.
Batata fritas para os filhos? Nem pensar!!! Batata frita fora de casa dá dor de barriga! E não vai gastar dinheiro em farmácia!
Se você falar a ele sobre a história do lugar, ele logo vai dizer: ahhhhhhhhhhhhhhhhhh mas não tem um grande herói como na minha cidade!Aí se voce perguntar a ele quem é? Ele vai responder: foi meu tataravô!!! Sempre será da família dele!
Se ele der um espirro vai dizer: isso só acontece comigo aqui!
E o chavão deles: “Lá na minha cidade é bem melhor, não é que eu queira SER CHATO não, não é isso de maneira nenhuma, mas lá é bem melhor”.
Agora quando eles voltam para o lugar de origem, aí eles amam tirar onda, faz parte do manual dos chatos...é o que eles mais amam, é tirar onda. Isso eles fazem como ninguém. Ele será o exímio conhecedor do lugar que ele foi. E vai lhe dar todas as dicas, mas sempre assim: olha lá é muito bom, mas cuidado EU descobri que...
Bem pior que um turista chato é receber ele e pior ainda é viajar com ele.
Tome cuidado para você não ser um, respeite todos os lugares que você for. Lembre-se que todos os lugares do mundo tem virtudes e defeitos, assim como nós.
Boa Viagem.

Eliane

domingo, 11 de maio de 2008

D. Canô por Maria Bethânia - Homenagem ao Dia das Mães


"Qualquer coisa que fale sobre minha mãe é pequeno. E nada que seja pequeno pode ser colocado diante da grandeza dela", diz Maria Bethânia, sobre sua mãe D. Canô.

Lindo, lindo, lindo!!!!
Eliane

Viagem por Ariano Suasssuna


"Que mensagem você enviaria aos escritores que estão começando ou mesmo àqueles que ainda estão relutantes em entrar no mundo da literatura?

Ariano – Olhe, eu não teria muita coisa a dizer a eles, não. Mas acho que pelo menos eu diria, porque foi assim que aconteceu comigo, que lessem muito. Porque a leitura pra mim foi fundamental. Foi a leitura que me abriu o mundo. Eu nunca saí do Brasil, mas eu conheço a Rússia como muitos russos não conhecem. Nem é todo português que conhece Portugal como eu. Tudo isso por causa da leitura. Quer dizer, eu não fui à Rússia, mas li com muita atenção e muita paixão Gogol, Dostoievski, Tolstoi, que me fizeram conhecer muito aquele país. Por isso, o conselho que dou é que leiam muito mesmo".

Para as MÃES, pais, filhos - Feliz Dias das MÃES


"Quem tem mãe tem todos os parentes. É verdade. A Mãe é a síntese de todo esse universo humano que se chama família. A rigor, ela é a única que caracteriza o sentido de união dentro de uma casa. É quem gera, alimenta e ama. É quem reúne, santifica e eleva. É ela quem se lembra de todos, esquecendo-se de si mesma. É aquele ponto de encontro necessário entre Deus e os homens e que se chama - Amor. Venere sua mãe, onde ela estiver".

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Inesquecível Arthur da Távola


Coisas que a vida ensina depois dos 40
Amor não se implora, não se pede não se espera...Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus paramostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves queabrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...O amor quebra barreiras, une facções,destrói preconceitos,cura doenças...
Não há vida decente sem amor!E é certo, quem ama, é muito amado.E vive a vida mais alegremente...Artur da Távola

Luto por Arthur da Távola


O blog hoje está de luto por a Arthur da Távola, que faleceu hoje, 09/05/08. Pessoa com inigualável conhecimento e bom gosto pelas coisas boas da vida, refinadas para nossa alma, como a música clássica, crônicas que falam sobre nossos principais valores que estão dentro de cada um de nós, mas muitos esquecidos, como: amor, solidariedade, compaixão, respeito. Sem dúvida estamos mais pobres, quem mais vai fazer um programa só de música clássica como ele? E falar tão bem com a alma de cada leitor? Mas, deixou ensinamentos eternos. Obrigada,
Eliane

Crônica de Artur da Távola - Quinta 08-05-2008
PAPO DISPERSIVO SOBRE A PAIXÃO
As pessoas amam bem mais a expectativa do amor possível, que o amor propriamente dito. Daí a intensidade dos impulsos bloqueados, os que estão impedidos de expansão e movimento na direção do objeto amado.
Os "grandes amores" da literatura são grandes, não por serem amores, mas por serem impossíveis.
Já os grandes amores da vida real só quem sente é que sabe. A impossibilidade de dimensionar um impulso afetivo carrega de energia a fantasia. E esta se encarrega de dar dimensão ao que o exercício da relação, talvez, tirasse.
Na paixão impossível só estão as projeções do que idealizamos, pretendemos ou não conseguimos viver em nosso cotidiano. Daí ser fácil entender sua força, sua obsessiva presença na cabeça dos enamorados.
É por isso, aliás, que só é musa quem é inatingível.
Case-se com a sua musa e acordará com uma jararaca...
Case-se com quem ama e será feliz.
Quer se ver livre de uma paixão colossal? Vá viver com a pessoa objeto da paixão (observem, por favor, que não estou usando a palavra amor). Aliás, já está nos clássicos e, mesmo, antes destes, nos antigos: "A conquista enobrece e a posse avilta". Ou, como dizia Goethe: "Nas batalhas da paixão, ganha aquele que foge".
Quantas vezes as relações humanas terminam ou se interrompem sem terem esgotado o potencial de possibilidades adivinhadas, intuídas, sentidas. Aí, o que não se esgotou clama por vir à tona e, muitas vezes, ameaça ocupar (e às vezes ocupa, efetivamente) todo o "ego".
Não é por outra razão que o apaixonado é o maior dos egoístas.
Ao dedicar tudo ao objeto da paixão, está é alimentando a própria necessidade, seja de sofrimento, de idealização, de felicidade ou fantasia.
Entupido de impossibilidades, ele clama. E a isso muitos chamam amor.
Mas amor é coisa muito diversa...
Amor não clama nem reclama: amor dá.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Dica Roteiro Turístico Ceará


O Ceará não tem só Praias, é um Estado privilegiado em paisagens diversas, ao visitar o Estado faça uma pesquisa antes e se informe de lugares encantadores, com certeza irá se surpreemder!!!
Eliane
"Região possui forte potencial turísticoA Serra da Ibiapaba possui belas cachoeiras, paisagens e trilhas, caracterizando potencial natural para o desenvolvimento do turismo. A região localiza-se no noroeste do Ceará, a cerca de 330 quilômetros da capital, via BR 222 e CE 187. Com altitude média de 800 metros acima do nível do mar, a serra possui clima ameno e temperaturas que variam entre 17ºC e 24ºC.Por essas características, a Ibiapaba tem potencial para desenvolver três tipos de turismo. Um deles é o turismo ecológico e esportivo, em que os aventureiros aproveitam as características naturais da chapada para a prática de esportes radicais como rapel e asa delta. Outro é o turismo cultural, pelo patrimônio histórico da região, principalmente em Viçosa. E o último é o turismo rural, através da adaptação de fazendas e sítios produtivos como meios de hospedagem, oferecendo aos visitantes uma convivência com as atividades agrícolas tradicionais da localidade, complementando os aspectos cultural e sócio-econômico da visita aos municípios.Roteiro integradoEm 2008, o Sebrae, em parceria com o empresariado, vai trabalhar na elaboração de um novo projeto de integração do roteiro turístico da Serra da Ibiapaba ao Parque Nacional de Sete Cidades, no Piauí. A proposta é criar um produto turístico viável, capaz de se desenvolver sustentavelmente, que possa ser gerido de forma descentralizada, coordenada e integrada, com base nos princípios da flexibilidade, articulação, mobilização e cooperações intersetorial e interinstitucional. O processo de construção do projeto de turismo para a região está sendo feito de acordo com a metodologia da Gestão Estratégica Orientada para Resultados ".

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Duda Mendonça, marcou época!!!


Hoje realmente foi um dia Feliz!!!!!Ao entrar no Blog de Duda Mendonça, que recomendo para todos: http://www.blogdoduda.com.br/, fiz uma viagem à Salvador, minha querida e amada Bahia, numa época maravilhosa. O Blog Duda fala de uma música de autoria dele, Cheiro de Amor, que foi imortalizada na voz da nossa queridíssima, Maria Bethânea. A música na época foi veicula a uma propaganda de um Motel, Le Royale, a propaganda foi tão poderosa que não existe em Salvador que tenha vivido essa época que não se lembre. Duda conseguiu desmistificar motel, que na época era visto com promiscuidade, e o tornou romântico. O poder dele de encantar.... que é natural!!!! Parabéns Duda!!! Como diz nosso amado Caetano:
ORAÇÃO AO TEMPO:
Caetano Veloso
Por seres tão inventivo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos Deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo

Foi um tempo que fez história na Bahia!!!
Eliane

terça-feira, 6 de maio de 2008

O FENOMENO - Ronaldo e o Turismo


Tudo haver com o Turismo: Ronaldo, o FENÔMENO!!!
Claro que sim, fez milhares de pessoas assistirem suas jogadas de craque.
Quantas pessoas não queriam "um Ronaldo" na seleção do seu País? Mas o que vemos aqui no Brasil é ele ser escrachado por quase toda a mídia!!! Que falta de assunto!!!
Ele sabe fazer tudo que é preciso dentro de campo. E é isso que importa para os Brasileiros.
É porque no Brasil perdeu completamente o limite entre a invasão e a privacidade, não se sabe mais onde termina uma e inicia a outra. Hoje o que importa é saber como a notícia será veiculada da forma mais chula possível, porque vende, dá Ibop. Ronaldo, foi, é e sempre será um craque, ninguém apaga os Gols feitos, as vitórias. Já está registrado. No futebol que é o que nos interessa dele, ele é absoluto!
O Brasil tem coisa muito mais séria para se preocupar, a vida particular de Ronaldo não afeta nossas vidas, como a violência, segurança, dengue, os impostos altíssimos que pagamos, entre outras tantas coisas.
Como ele bem sabe fazer: chute e vá em frente Ronaldo!!! Continue jogando e mostrando o Brasil através do seu jogo que voce faz muito bem!!!
Eliane
Sou Ronaldo
Marcelo D2
Composição: Marcelo D2
Sou RonaldoMuito prazer em conhecer
Eu sou FenômenoRonaldo Nazário dos campos
E quero muito agradecer a DeusP
or ter me escolhido no meio de tantos
Igual a todo brasileiro, eu sou guerreiro
Às vezes caio, mas eu me levantoSou Ronaldo
O desafio sempre esteve
E estará em minha vida
E eu já nem me espanto
E se o mundo é uma bola
A gente tem que entrar de sola
Pra ganhar o campo
Eu não me intimido e parto pra cima
E só me contento ao ouvir
A galera entoando esse canto
Ronaldo é gol
Ronaldo é gol
Sou Ronaldo, nasci no Rio de Janeiro
Alô-alô, Bento Ribeiro é minha área
Eu sou Ronaldo, jogo na linha
A nove é minha, ninguém tasca eu vi primeiro
Artilheiro, eu sou Ronaldo
O meu desejo é ser criança
E não perder a esperança
De ver o jogo mudar
Eu sou Ronaldo
A minha fome é de bola
A minha sede é de gol
Balança a rede, eu sou Ronaldo
Sou de suar minha camisa
Conquistar minha divisa
Eu já provei que eu sou Ronaldo
E se você não acredita
Que eu não sou de fazer fita
É só esperar pra ver
Ronaldo é gol
Ronaldo é gol
E quando o tempo é de Copa
Os gringos ficam ligado
Mais de 170 milhões são RonaldoR9, todo mundo sabe, o homem-gol
Tu é Ronaldo, o Brasil é e eu também sou
Qualquer problema, meu cumpadre tiro de letra
Tô sempre pronto, já ouviu?
A pátria tá de chuteira
Perrengue a gente passa, eu nunca tô de bobeira
A bola quica
Eu pego ela de primeira
Ronaldo é gol
Ronaldo é gol

Patrimônio Cultural NÃO TEM PREÇO


Em março/2007, o governo da Bahia cortou o repasse mensal de R$68 mil para a Fundação Casa de Jorge Amado, localizada no Pelourinho. A entidade preserva cerca de 250 mil documentos do autor de "Mar morto", "Capitães da Areia", "Gabriela" e "A morte e a morte de Quincas Berro D'Água". O ar condicionado foi desligado e o acervo está ameaçado.
João Ubaldo: O governador Jaques Wagner disse que ia mandar o secretário da Cultura (Márcio Meireles) me ligar pra dar explicações. Mas eu não quero explicação. Não há explicação para isso! Não há explicação porra nenhuma! Agora, eu tô mobilizado. Não vou sossegar. Podia até dizer que eles terão que passar por cima do meu cadáver, mas a verdade é que eles não vão me estripar.
Os acadêmicos da ABL estão mobilizados para conversar com o governo da Bahia, para suspender o corte orçamentário. "A Bahia não pode passar uma vergonha dessa!", protesta João Ubaldo, que segue disposto a provocar uma reação dos baianos.
Vergonha na cara dos baianos" Na Bahia, Jorge Amado, o jornalista Odorico Tavares, o compositor Dorival Caymmi, o etnólogo francês Pierre Verger e o pintor Carybé pertencem a uma geração que valorizou a cultura negra e lutou pela defesa dos terreiros de candomblé. O povo de santo, ainda hoje, presta homenagens aos "fundadores" da baianidade.
- Não digo que, sem Jorge Amado e Caymmi, a Bahia não existiria. Existiria, sim. Agora, podia ser uma merda de cidade portuária, sem reconhecimento internacional - avalia João Ubaldo.
Continua: É uma vergonha, uma indignidade para a Bahia. Jorge Amado quis que seu acervo ficasse em Salvador, no Pelourinho. Recebeu uma proposta da Universidade de Harvard, mas não quis! Jorge queria ver seu acervo junto ao povo que ele amava. Ele defendeu a Bahia até a morte, não pode ser desrespeitado. Para o Brasil, Jorge Amado é um símbolo. É um ícone, um Pelé. É lido em 52 países! O povo baiano precisa tomar vergonha na cara. Não vou bancar o porreta, mas eu já tomei vergonha.
Fonte: Terra Magazine

Não precisa comentar absolutamente nada depois das palavras de João Ubaldo. Ahhhhhhhhhhhhhhhh se todos tivessem essa consciência e sensibilidade, nosso País seria mais rico culturalmente.

Aplausos para João Ubaldo.

Eliane


Dicas de viajantes


Seguem algumas dicas de viajantes, que são importantes e muitas vezes não damos a devida atenção:
1) Meu amigo Franchesco, italiano, namorado de minha amiga Mara, ama o Brasil, todo ano passa 6 meses aqui, tem grande experiências em viagens. Ele faz assim: estipula um valor em dinheiro para gastar por dia, por exemplo, R$100,00, isso depende muito da disponibilidade de cada um é claro. Mas ele não gasta absolutamente nada além disso, pode gastar menos, aí fica crédito para outro dia. É bom, e por incrível que pareça quando temos um limite aproveitamos mais, porque procuramos mais e achamos, muita coisa!!! Quando ele veio aqui em Fortaleza foi assim, eu acompanhei de perto. Ele reserva o $$ do hotel, e o restante divide pelos dias que vai ficar;
2) Máquina digital em lugar muito frio, enrole ela num casaco a bateria dura mais, e em lugar que tem muita areia, poeira, embale num plástico, protege dos danos que um grão de areia pode causar;
3) Nas estradas procure comer sempre sanduíche de queijo, carne assada, ou frango assado, evite as comidas com molhos, presuntos. As comidas secas é melhor para digestão, barrinhas de cereais são milagrosas para o intestino;
4) Quando for viajar deixe em lugar visível na sua carteira, o seu tipo de sangue;
5) As informações da ficha que preenchemos nos hotéis, FRNH, precisam ser bem claras, principalmente o telefone de alguém, caso aconteça alguma coisa com você;
6) Ao se hospedar num hotel, crie um vínculo de relacionamento, procure a gerência, converse, geralmente voce consegue descontos bons da próxima vez, mesmo que não seja p/ voce pode ser para alguém que voce indique;
7) Os restaurantes das cidades frequentados pelos moradores, são os melhores e os mais baratos;
8) Não exagere na comidas que voce não conhece, voce pode perdr a viagem por isso, uma indisposição alimentar derruba qualquer um;
9) Todas as cidades ho je em dia tem violência, evite usar relógios, jóias, saia só com o $$$ daquele dia, com certeza sua viagem será mais tranquila;
10) Procure saber antes a história do lugar que vc vai, hj a internet oferece isso, vc vai se sentir bem melhor e compreender muito mais a rotina do lugar!!!
Por enquanto é só!!!
Boa viagem!!
Eliane

O que é Ser Turismólogo?



O que é Ser Turismólogo?
Valorização do Turismologo. Porque?São vários os motivos, se for elencar todos, não daria no blog!
 Primeiramente vamos para a terminologia: “Turismólogo”. Quando estamos em algum local que precisamos preencher alguma ficha, existem especificações - quase padrão, nome, endereço, data de nascimento e profissão! Aí é que o bicho pega! Se você escrever Tursimólogo, na maioria das vezes - perguntam: o que é isso? Logo de início pensam: alguma coisa ligada aoturismo: Vive de viajar!
Agora repasso para vocês leitores: o que é isso? O que é ser Turismólogo? 
Num País em que todas as pessoas de qualquer área se mete, e se mete mesmo! Não é exagero. Então voltando ao grande questionamento, o que é ser Turismólogo? Bem, minha gente, ser Turismólogo primeiramente é uma virtude, porque somos formados para pensar um Turismo sadio, harmonioso em todas as esferas. Evitar equívocos, como por exemplo: a exploração sexual, prostituição, tráfico, degradação do meio ambiente, especulação imobiliária, preços caros, falta de profissionalismo, desrespeito à comunidade e ao patrimônio material e imaterial; ufa... enfim planejar.
Aí... agora que foi esclarecido ligeiramente o que é ser Turismólogo, vamos pensar o Brasil.
Pense, vá fundo! Em todos os lugares turísticos do Brasil, que você conhece ou já ouviu falar, absolutamente todos. Pensou? Os lugares que você pensou reconheceu algum equívoco acima? Quantos?
Bem ser Turísmólogo é isso, evitar os equívocos! É unir planejamento, gestão e legislação.
Agora outra perguntinha. Juro a última! Onde estão os Turísmólogos desse País? Algum em cargos estratégicos? Minha gente... a resposta está aí! A maioria quando exercem alguma atividade no turismo geralmente são subordinados a alguém que NÃO É TURISMÓLOGO!
Muito difícil encontrá-lo na educação, ou em governos de todas as esferas, municipais, estaduais e federais.
Agora vai um desafio: se alguém souber de algum Secretário de Turismo que seja Turismólogo, ou esteja na frente de alguma instituição governamental que pense o Turismo, me diga por favor!
Faço uma ressalva, conheço o Secretário de Turismo de Pacatuba/Ceará e Aracati/Ceará que são Turismólogos, Adriano Teixeira e Iane Sampaio, respectivamente. Parabéns aos municípios.
Quem souber de outros, o Blog agradece a informação.Está na hora de mudar!
"...ostras nascem do lodo gerando pérolas finas..." Ederaldo Gentil
Eliane

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Viagem a Jericoacoara por Alex


Muito prazer pessoal do Blog!!! Sou Alex, filho de Eliane e de vez em quando vou dar uma passadinha por aqui, a convite de minha mãe é claro! Hoje vou escrever sobre um aviagem recente a Jericoacoara ou "Jeri".
De acordo com o Livro Mar sem Fim, de Amyr Klink, tem um trecho assim: “… hoje entendo bem meu pai. Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu". E é a mais pura verdade. Nada do que descobrirmos tudo, como nosos próprios olhos.
A viagem à Jeri, confesso que fui com muita expectativa, por ser um lugar muito falado, e também por ser umas das 10 praias mais bonitas do mundo!!!
Por todos essas maravilhas atribuídas á Jeri, é criado um mito, e devemos ter cuidado com os mitos.
Entre as informações que recebemos antes de ir é que era lugar caríssimo!! Primeiro "mito" derrubado, seguindo os conselhos de minha mãe, logo que cheguei procurei alguém do local, e tive dicas valiosas, o negócio é ter boa vontade e procurar e perguntar.
Bem, encontramos restaurantes baratos, passeios que valem a pena. Segue um pequeno roteiro:
Pousada Jeri Vilage - adoramos, atendimento excelente, cafá da manhã muito bom e o preço também;
Buggueiro: Diamantino, conversando ele faz uma tarifa legal, é bom conseguir mais um casal p/ ir junto;
Passeios: Pedra Furada, é uma obra de arte da natureza;
Lagoa Azul: Transparente, linda!
Lagoa do Paraíso: o nome já diz tudo
Tatajuba: Não fomos mas as recomendações são as melhors possíveis, mas a grana acabou hahahahaha.
Pode aproveitar o dia com tranquilidade, faça td que quiser, pq a noite de Jeri só é boa mesmo depois de meia noite, dá tempo de dormir e acordar novo.
E o principal, andar, andar pelos lugares, pela praia, sentir o lugar, conversar com pessoas, saber das histórias. Jeri vale a pena. Recomendo!!!!
Alex Curvello

sábado, 3 de maio de 2008

24 coisas que voce não pode morrer sem saber!!!!

24 COISAS QUE VOCÊ NÃO PODE MORRER SEM SABER!!!
01 - O nome completo do Pato Donald é Donald Fauntleroy Duck.
02 - Em 1997, as linhas aéreas americanas economizaram US$ 40.000 eliminando uma azeitona de cada salada.
03 - Uma girafa pode limpar suas próprias orelhas com a língua.
04 - Milhões de árvores no mundo são plantadas acidentalmente por esquilos que enterram nozes e não lembram onde eles as esconderam.
05 - Comer uma maçã é mais eficiente que tomar café para se manter acordado.
06 - As formigas se espreguiçam pela manhã quando acordam.
07 - As escovas de dente azuis são mais usadas que as vermelhas.
08 - O porco é o único animal que se queima com o sol além do homem.
09 - Ninguém consegue lamber o próprio cotovelo, é impossível tocá-lo com a própria língua.
10 - Só um alimento não se deteriora: o mel.
11 - Os golfinhos dormem com um olho aberto.
12 - Um terço de todo o sorvete vendido no mundo é de baunilha.
13 - As unhas da mão crescem aproximadamente quatro vezes mais rápido que as unhas do pé.
14 - O olho do avestruz é maior do que seu cérebro.
15 - Os destros vivem, em média, nove anos mais que os canhotos.
16 - O "quack" de um pato não produz eco, e ninguém sabe porquê.
17 - O músculo mais potente do corpo humano é a língua.
18 - É impossível espirrar com os olhos abertos.
19 - "J" é a única letra que não aparece na tabela periódica.
20 - Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.
21 - Os chimpanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se reconhecer na frente de um espelho.
22 - Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.
23 - 40% dos telespectadores do Jornal Nacional dão boa-noite ao William Bonner no final.
24 - Aproximadamente 70 % das pessoas que lêem este texto tentam lamber o cotovelo.

PAC e Turismo


Programa de Aceleração do Crescimento:
PAC 2007-2010
É um Programa de Desenvolvimento que vai promover:
􀂾 A aceleração do crescimento econômico;
􀂾 O aumento do emprego; e
􀂾 A melhoria das condições de vida da população brasileira.
O PAC consiste em um conjunto de medidas destinadas a:
􀂾 Incentivar o investimento privado;
􀂾 Aumentar o investimento público em infra-estrutura; e
􀂾 Remover obstáculos (burocráticos, administrativos,
normativos, jurídicos e legislativos) ao crescimento.
O PAC depende da participação do Executivo, Legislativo, dos
trabalhadores e dos empresários.

"A minha intenção é estimular todos os setores do
país a participarem deste esforço de aceleração
do crescimento, pois uma tarefa dessas não
pode ser uma atitude isolada de um governo –
mas de toda a sociedade. Um governo pode tomar
a iniciativa, pode criar os meios, mas para que
qualquer projeto amplo tenha sucesso é preciso o
engajamento de todos.”
Luiz Inácio Lula da Silva,
Presidente da República
E o PAC do Turismo? Alguém sabe por onde anda?
Eliane

Discurso Senador ACM/JUNIOR - Cultura da Bahia


Refiro-me à riquíssima multirracial cultura baiana.
A simples menção ao nome "Bahia" costuma evocar referências culturais, que orgulham seus filhos, despertam a admiração de brasileiros de todas as regiões e atraem turistas por todo ano.
Impossível pensar a cultura brasileira sem inserir a Bahia logo nos primeiros parágrafos.
Não obstante o valor da cultura baiana para a própria Bahia e para o Brasil, é de estarrecer o plano inferior a que ela tem sido submetida nos últimos tempos, tratamento esse absolutamente incompatível com a sua importância e relevância.
Se para nada mais fosse justificável a valorização da cultura do meu Estado, bastaria tão-somente o excepcional incentivo que proporciona ao turismo.
E vejam:
Quando falo em cultura baiana, não estou me referindo apenas aos belíssimos sítios arquitetônicos, às igrejas, casarios e ruelas de Salvador ou de cidades como Porto Seguro, Ilhéus, Cachoeira e tantas outras.
Nem tampouco somente aos terreiros, às manifestações religiosas, às festas afro-brasileiras que pontuam no Estado por todo ano.
Refiro-me também, e especialmente, aos escultores, pintores, pensadores, cientistas, poetas, compositores, artesãos, escritores, músicos e cantores que a Bahia deu ao País e que - muitos deles - estão sendo gradativamente esquecidos ou sequer estão tendo oportunidade de serem conhecidos pelas novas gerações.
Nem sempre foi assim.
Lembro-me de quando o então Governador Antonio Carlos Magalhães adquiriu e trouxe para a Bahia, ainda nos anos 70, a coleção do pernambucano Abelardo Rodrigues.
A disputa gerada entre os Estados da Bahia e de Pernambuco, ambos empenhados em preservar a coleção, foi tamanha que o episódio passou a ser conhecido na Bahia como a "Guerra Santa".
Hoje, o fluxo inverteu-se e o que temos assistido são acervos deixarem a Bahia.
É verdade que a cultura não deve permanecer indefinidamente à sombra do Estado, dependendo de seus recursos e favores.
Mas é forçoso reconhecer que, no Brasil, ela ainda não pode prescindir do apoio e da ajuda do Poder Público.
Vejam, por exemplo, a região do Pelourinho, em Salvador, que a inteligência e a obstinação de Antonio Carlos Magalhães, inicialmente como Prefeito, depois como Governador, trouxeram de volta ao convívio social e à vida cultural e turística.
Antes área de acentuada deterioração física e social, o Pelourinho, restaurado por ACM e coração do centro histórico de Salvador, primeira capital do Brasil, voltou a bater forte sendo, inclusive, tombado como Patrimônio da Humanidade.
A restauração do Pelourinho é o exemplo de que é possível, viável e lucrativo resgatar a memória baiana.
Infelizmente, os dias atuais voltam a nos assombrar com imagens de degradação do mesmo Pelourinho, tristes imagens que pensávamos pertencer ao passado, mas que são também exemplo e advertência de que não se pode quedar sob o conforto das obras feitas.
A cultura baiana é festejada por todos, nativos e estrangeiros.
Mas se ela não for preservada, protegida, por todos que a amam - inclusive os muitos que dela tiram o seu sustento - um dia não haverá mais o que festejar.
A Bahia de Glauber, do Afoxé Filhos de Gandhi, de Jorge Amado, de Caribé, Calazans, Gilberto Gil - não por acaso Ministro da Cultura -, Milton Santos e tantos outros.
Passa da hora, por exemplo, de a Bahia contar com um grande museu, à semelhança do Masp, que, tenho certeza, teria sua agenda lotada por anos, apenas com mostras de autores da terra.
Fato é que os Governos estadual e da cidade de Salvador não têm demonstrado preocupações - pelo menos não na forma esperada - com a preservação da nossa cultura, se não no sentido de mantê-la viva para as novas gerações, pelo menos como fator de incremento do turismo.
Para o Orçamento do ano que vem, procurei seguir a tradição do Senador Antonio Carlos Magalhães, de prestigiar a cultura da Bahia. Apresentei uma emenda que, se aprovada, contribuirá com R$25 milhões para a nova e urgente recuperação do Pelourinho, vez que, reconhecidamente, o Governo do Estado carece de mais recursos para acelerar o processo de revitalização e preservação desse importante acervo cultural da cidade de Salvador, passagem obrigatória de todo turista que visita nossa capital.
Apresentei também emendas individuais para entidades de caráter cultural, como a Fundação Casa de Jorge Amado.
Srªs e Srs. Senadores, a cultura da Bahia não se resume aos receptivos de empresas de turismo caracterizados no saguão do Aeroporto Luis Eduardo Magalhães.
E, se nada for feito, nós todos, baianos e brasileiros em geral, nos empobreceremos com ela.
Muito obrigado,
Antônio Carlos Magalhães Junior

Livro Professor Christian

Professor Christian, aborda de forma clara, incentiva e desperta o olhar para uma leitura mais profunda sobre o Turismo Religioso, desenvolve uma reflexão num panorâma onde o sagrado e o profano caminham juntos. No sagrado o homem vive eternamente na busca de milagres e de respostas para os mistérios da vida, no profano o homem busca as experiências que lhe tirem da rotina, coisas novas. O Turismo Religioso une os dois: o deslocamento leva o homem ao santuário numa quebra de cotidiano.
Será? Vale a pena ler o livro do Professor Christian e conhecer muito mais sobre essa motivação que desloca várias pessoas no mundo inteiro.
Eliane

Turismo Religioso


Turismo Religioso: uma breve apresentação
Christian Dennys Monteiro de Oliveira
A primeira idéia que se tem ao mencionar o termo Turismo Religioso é de que seu usuário pretenda tão somente fazer um trocadilho com duas noções que se defrontam. Afinal, de que maneira os aspectos ditos “profanos” do universo turístico – lazer, prazer, entretenimento e descontração – podem compor uma atividade cheia de obrigações espirituais ou “sacrifícios” como um fenômeno religioso?
Essa primeira impressão, para definir o tipo de viagem que nasce de diferentes motivações religiosas, constrói-se a partir de uma “natural” visão dicotômica ou dualista. Digo “natural” na medida em que aprendemos, com a educação positivista, a reconhecer conceitos imediatamente por um mecanismo de sim/não; um sistema binário de relações. Por conseguinte, pode-se negar o turismo religioso com o simplório pré-conceito: quem vivencia o fenômeno religioso não pode estar fazendo turismo. Logo, se viajo por motivações turísticas, para lugares turísticos, utilizando-me de serviço turísticos, não exerço compromisso religiosos. A não ser que...E assim começamos a apresentar uma conceituação, de raízes históricas e escala planetária, capaz de ultrapassar essa dicotomia vulgar para representar dimensões múltiplas das culturas humanas contemporâneas. Continuando a frase acima, temos um Turismo Religioso, a não ser que a própria realidade religiosa – a manifestação pública e coletiva da fé, - absorva bases e estruturas do fazer turístico. Chamamos isso de Religiosidade Turística. Uma definição talvez mais incômoda para se popularizar; porém muito mais operacional para compreensão das características essenciais da formação e crescimento do Turismo Religioso, em tempos recentes.O Turismo Religioso não é, necessariamente, um turismo feito por religiosos, místicos, santos populares, devotos e sacerdotes/profissionais de qualquer credo ou confissão religiosa. O adjetivo religioso deve ser reconhecido em sua amplitude espiritual e metafísica, embora esteja perigosamente comprometida com a perspectiva cristã – responsável pela sistematização desse significante, no universo do Império Romano e da Igreja Católica. Portanto, a correta definição para esse tipo de turismo encontra-se num exercício aproximativo. Trata-se de um fazer turístico capaz de manifestar algum dado de religiosidade. E é exatamente na religiosidade – no ato popular de professar o sistema de crenças chamado de Religião – que o Turismo Religioso pode ser comparado às peregrinações e romarias aos lugares sagrados, em momentos também sagrados.Mas até que ponto uma peregrinação a Benares (no hinduismo), a Meca (no Islamismo), à Santa Sophia (na ortodoxia cristã) ou a Jerusalém, pode ser considerado um fenômeno turístico? Não estaria havendo aí uma mistura ou confusão entre o visitante motivado pelo mistério religioso (o peregrino) com aquele interessado apenas na materialidade cultural desses eventos ou localidades? Efetivamente, sim: há mistura e con-fusão, mas exclusivamente provocada pela própria realidade complexa da visitação religiosa. Até em Fátima tenta-se resolver o impasse com o seguinte aviso ao visitante, no portal de entrada do Santuário: Aqui termina o turista e começa o peregrino. Em outras palavras: troque sua personagem; mas saiba que o ator continuará o mesmo.Por esta razão, entende-se aqui ser mais sensato não ignorar que o Turismo Religioso seja, ao mesmo tempo, uma forma indiscutível de turismo e uma manifestação evidente da religiosidade contemporânea, em diferentes sociedades.Percebe-se nos últimos anos o aumento sistemático do debate sobre questões religiosas. Debate esse motivado por uma série de fatores convergentes para uma espécie de “renascimento do sagrado”. Tais fatores são, em nível internacional: os conflitos no mundo islâmico (bem com o crescimento geométrico desta religião monoteísta), o esgotamento dos recursos ambientais, as crises econômicas e sua associação global com a redução dos investimentos sociais, a derrocada do socialismo como alternativa política global, o crescimento do terrorismo, entre outros. E, no Brasil especificamente, o reconhecimento prático de que a democracia, a urbanização e os meios de comunicação selaram, de uma vez por todas, a separação entre cidadania e catolicismo. O que permitiu contraditoriamente um aumento da tolerância e da concorrência entre diferentes credos. Era afinal o nascimento de um mercado religioso pulsante, fortalecendo em distintos rituais e estratégias de manutenção/expansão. Sem dúvida, o Turismo Religioso representa mais uma dessas estratégias.Vale lembrar alguns episódios atuais relevantes. Nunca tivemos tantos religiosos beatificados pelo Vaticano – Anchieta, Frei Galvão, Madre Paulina – e tantos santuários católicos (oficiais ou populares) sendo expostos nos meios eletrônicos de comunicação. Pelo movimento protestante, nunca foi tão farta e ostensiva a presença de casas de culto das mais variadas denominações evangélicas. Além da paisagem urbana, rádios, jornais, televisões, internet, multiplicam os valores da vida religiosa, como fenômeno de massa. Os espiritismos (kardecista, umbandistas ou orientais) ganham nova força sincrética, graça ao boom de misticismo da Nova Era e o intercâmbio cultural da virada do milênio. Virada esta, por si só, um período especial para motivar exercícios de fé e busca ritual. Está aí o consumo global das festividades natalinas, transformadas em evento turístico-religioso internacional: o ecumênico révellionEsse panorama de incentivo ao Turismo Religioso não poderia passar desapercebido pelos estudiosos e planejadores da área. Mas era o que vinha acontecendo na medida que, via de regra, as análises sociológicas das motivações turísticas fixavam-se, exclusivamente, nos aspectos da renda e do entretenimento, voltados ao lazer. E se religião não é lazer, não se pode afirmar que a religiosidade não o contenha. No campo da religiosidade, temos sim uma permanente reconstrução práticas e valores. Por isso, fazer Turismo Religioso é fazer visita e, portanto, comprometer outra viagem, outra estada, outro patamar de aproximação ao sagrado.A densidade desses aspectos que reúnem, num só evento, raízes históricas das peregrinações religiosas, costumes rituais nos locais de destino (santuários e festas) e a gestão dos equipamentos e atrativos correlatos tem provocado a reflexão acadêmica e operacional de novos estudiosos. Só em 2003, foram editadas, no Brasil, três publicações especificas sobre o assunto. Turismo Religioso, da série Desenvolvendo o Turismo-Volume 9- Edição Sebrae, de Vânia Beatriz Florentino Moletta, com caráter mais técnico e direcionado as localidades e empreendimentos interessados nos possíveis ganhos do setor.
Os demais são Turismo Religioso: Ensaio e Reflexões, organizado por Reinaldo Dias e Emerson Silveira e publicado pela Editora Alínea e Turismo Religioso: Ensaios Antropológicos sobre Religião e Turismo, organizado por Edin Abumanssur e publicado pela Papirus Editora (1). Conforme os próprios títulos, trazem estudos de diferentes autores e perspectivas para contribuir na sistematização de um ramo tão recente nas preocupações dos cientistas humanos. Neste ultimo, encontra-se um artigo de nossa autoria – Turismo Monumentalidade e Gestação: as Escalas da Visitação Religiosa Contemporânea – no qual reafirmamos operar o Turismo Religioso em dimensões metropolitanas, isto é globais e locais, factuais e simbólicas, sagradas e profanas.
O Turismo Religioso, na lógica cultural da visitação e da comunicação, é capaz de compatibilizar, no mesmo meio, o peregrino ecoturista e o romeiro excursionista. É isto vivência da religiosidade turística. Pois ambos são capazes de multiplicar significados para um mesmo atrativo, por mais repulsivo que tal atrativo possa parecer, aos olhos de alguns. Afinal, não há uma estética tão agradável assim na Passarela da Fé em Aparecida (SP); na Corda do Círio em Belém (PA) ou no Templo de Tia Neiva (DF). Mesmo nas cidades de Nova Trento (SC); Bom Jesus da Lapa (BA); Canindé ou Juazeiro do Norte (CE), não se consegue estabelecer essa conexão entre paisagem e fé.
A prática do visitante religioso, no local, é múltipla e diferenciada. Basta imaginar a excursão de uma comunidade de bairro para uma das praias do litoral paulista, num fim de semana. Nem todos que vão à praia, vão só pela praia em si; e não é sempre que “praia” é sinônimo de beleza. Algo relativamente semelhante acontece com uma visita motivada pela fé. A partir dos “pretextos” fé/penitência/culto, realizam-se encontros, compras, divertimentos, exercícios de saúde e educação, etc, além da renovação mística. Superando o simples mecanicismo da “satisfação das necessidades”. No Turismo Religioso, o atrativo é verdadeiramente um pretexto. Não adianta caracterizá-lo em uma conexão pré-concebida.
A dita conexão, portanto, não é automática nem natural. Requer estudos metodologicamente elaborados. Requer investigação dos lugares (emissivos e receptivos) nas variantes de diferentes enfoques. Requer disposição para o manuseio da complexidade que, literalmente, não se encerra em um “lugar comum”.
Os lugares do Turismo Religioso são especiais. São Santuários (2). Podem ser naturais, metropolitanos, oficialmente sagrados ou festivamente profanos. Mas refletem este especial – que chamamos de sagrados, de energia ou fé – que levamos como turistas e podemos, de repente, reencontrar.

Fortaleza 282 Anos, por Prof. Borzacchiello, uma REALIDADE


Fortaleza, 282 anos
José Borzacchiello da Silva
19/04/2008
Mais um ano de vida na trajetória de nossa Fortaleza. Da pequena vila inexpressiva de 1726 à metrópole contemporânea, nossa cidade atravessou diferentes fases. Sobrou pouco da velha Fortaleza. Dos momentos de fausto como os vividos no período áureo do algodão, herdamos um legado de qualidade. Dele destacamos o opulento Theatro José de Alencar. A cidade atravessou fases duras de penúria e miséria, sendo a seca de 1932, dentre outras, marcada pela chegada de levas e levas de flagelados. Data desse período a formação de nossas primeiras favelas. Chegamos aos 282 anos com a certeza que um descuido generalizado resultou na negação de marcas simbólicas representativas do passado. Sabe-se que a permanência de traços que atravessam o tempo é fundamental na imagem de uma cidade. É a sua própria face que se expõe, se institui garantindo sua identidade. O tempo acumulado em hábitos e paisagens, revelados no espaço atesta a densidade histórica de uma dada comunidade. A avidez pela modernidade produz cidades extremamente semelhantes em seu perfil urbano. Torres vítreas com brilhos e reflexos, letreiros gigantes com marcas globalizadas fazem as cidades parecerem uma só. No comércio essa característica ganha mais expressão. Fortaleza incorporou o ideal dos centros modernos de compra, planejados e apartados dos centros tradicionais. Especialistas dedicados à identificação de espaços diferenciados, atribuem a esses centros e outros equipamentos comerciais instalados em grandes superfícies, a denominação de "não lugar", ou seja, espaços que devido às suas características, não se tornam referências identitárias, ao contrário, seus atributos principais são o uso de materiais pré-fabricados, de linguagem universal, assepsia, segurança, luminosidade excessiva, camuflagem do tempo ou seja , ausência do relógio em muitos casos. A combinação desses elementos provoca pouca variação entre esses estabelecimentos, independente de sua localização no país ou no mundo. Eles são programados para que seus usuários esqueçam a noção de tempo e se entreguem, sem culpa, aos prazeres do consumo.
Nesta perspectiva, Fortaleza seguiu direitinho a regra estabelecida inserindo-se no rol dos mercados globalizados. Ainda bem que essa onda que pasteuriza tempo e espaço não desfigurou totalmente a cidade. O Centro e alguns bairros apresentam vestígios de permanência de nossa cultura, entrecruzando o velho e o novo, garantindo a presença de traços fortes característicos do modo de ser e de viver bem cearenses. Nos bairros mais distantes as cadeiras insistem em ocupar as calçadas. Apesar de todas as mazelas, ainda é muito bom ir ao Centro da cidade e se emprenhar no meio da multidão ouvindo o burburinho das ruas e constatar o interesse de muita gente por produtos que revelam um Ceará, culturalmente, profundo. Entretanto, muitos viram a cara diante de traços típicos de nossa cultura. Onde comprar ervas e raízes? E as churrasqueiras improvisadas, de confecção simples, grosseiras e funcionais? Esse artesanato atende a uma grande demanda do cotidiano de nossa gente. Lamento que pouco a pouco, os jovens perdem nossas referências. Sua convivência é prejudicada pela excessiva descaracterização da paisagem edificada da cidade. Eles são atraídos pelo novo. Os centros planejados de compras imitam, mas não reproduzem acidade em sua essência. Suas "praças de alimentação" estão distantes da velha praça, local de encontros, de trocas, de solidariedades.
Nesses 282 anos, a Fortaleza do Bode Ioiô, a cidade que "vaiou o sol na Praça do Ferreira", que adora jogar "conversa fora" nas esquinas, nos bancos de praça, que gosta de "bater uma pelada", demarca seu território. É muito interessante observar entre nossos traços, mesmo alguns negados pelos mais sofisticados e chiques, fundamentais, entretanto, na construção de imagens e perfis urbanos de Fortaleza. Experimente comparar nossas duas praças mais conhecidas, a do Ferreira e a Jose de Alencar. Apesar de toda mudança que a cidade experimenta, elas continuam garantindo uma "cara da cidade", que muitos não querem esquecer.
A José de Alencar sem os círculos de pregação religiosa, sem o "homem da cobra", sem o " "quebra coco com a cabeça", sem o "homem do pó de broca" e o do "chá de boldo", sem as cigarreiras, não seria a mesma praça. Imagine a do Ferreira sem os grupos de aposentados, sem as moçoilas segurando as saias que a forte brisa insiste em levantar. Ainda bem Fortaleza, que num quadro de muitas dificuldades, você consegue chegar aos 282 anos garantindo lugares únicos que atestam sua trajetória e garantem sua identidade. Meus parabéns!
José Borzacchiello da Silva - Geógrafo e Professor da UFC

A Cidade por Vinicius


A cidade em progresso
Vnicius de Moraes


A cidade mudou. Partiu para o futuro
Entre semoventes abstratos
Transpondo na manhã o imarcescível muro
Da manhã na asa dos DC-4s
Comeu colinas, comeu templos, comeu mar

Fez-se empreiteira de pombais
De onde se vêem partir e para onde se vêem voltar
Pombas paraestatais.
Alargou os quadris na gravidez urbana
Teve desejos de cúmulos
Viu se povoarem seus latifúndios em Copacabana
De casa, e logo além, de túmulos.

E sorriu, apesar da arquitetura teuta
Do bélico Ministério
Como quem diz: Eu só sou a hermeneuta
Dos códices do mistério...

E com uma indignação quem sabe prematura
Fez erigir do chão
Os ritmos da superestrutura
De Lúcio, Niemeyer e Leão.

E estendeu ao sol as longas panturrilhas
De entontecente cor
Vendo o vento eriçar a epiderme das ilhas Filhas do Governador.

Não cresceu? Cresceu muito!
Em grandeza e miséria Em graça e disenteria
Deu franquia especial à doença venérea
E à alta quinquilharia.

Tornou-se grande, sórdida, ó cidade Do meu amor maior!
Deixa-me amar-te assim, na claridade
Vibrante de calor!

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Cantos e Encantos de Fortaleza/Ceará


Você pode ter mil motivos para conhecer Fortaleza/Ceará, todos veiculados pelas agências, sites, e operadoras de turismo. Todos são bons. Mas, procure conhecer a Fortaleza/Ceará do morador. Nada melhor do que conhecer o lugar pelas pessoas que vivem lá. Existe a Fortaleza/Ceará turístico e a Fortalez/Ceará do cotidiano. As duas encantam!!! Seguem umas dicas do cotidiano;
Faça cooper na Av. Beira Mar;
Converse com os pescadores que ficam no final da Av. Beira Mar, procure saber o horário que chega a próxima jangada e não deixe de ir contemplar;
Faça o passeio de Chalana na Barra do Ceará, com Alberto, é umas das mais belas paisagens que o Ceará tem;
Vá na Praia de Sabiaguaba veja o encontro do Rio com o Mar, antes passe na casa que nasceu o escritor José de Alencar;
Vá no município de Icapuí, conheça as praias de Ponta Grossa, Barreirinha, Tremembé, Redonda;
Coma o bolo de banana da Casa do Frango;
O pão de coco do pão de açúcar;
A língua com molho de madeira do Colher de Pau, sábado a tarde;
Maminha do Arlindo;
Carpaccio do Dona;
Vá ao shopping Aldeota, antes de ir embora não deixe de comer o sanduíche de Filet da Montmarttre;
Arre Égua na sexta-feira não deixe de ver a Banda Dona Zefa;
Vá em Guaramiranga e durma em Pacoti na Casa dos Estudantes da UECE;
Depois de uma farra tome café da manhã na Padaria Monte Carlo;
Vá no sábado a noite dançar o Forró Pé de Serra no Kukukaia;
Todas as comidas do Faustino e no final sorvete de rapadura ou menta;
Cerveja gelada com camarão no Restaurante Camarões, final da tarde;
Caldo do Pote;
Carneiro no Lá na Roça no Eusébio;
Tapioca e pão sovado da Delitalia;
Self-Service “Bom D+”, o nome já diz tudo, todas as comidas são deliciosas;
Um café na cafeteria do Dragão do Mar;
Museu da cultura cearense - Dragão do Mar;
Passeio Público, local cheio de histórias e maravilhoso para fotos;
Praça do Ferreira e comer Pastel com caldo de cana;
Praça José de Alencar e visita guiada no Teatro José de Alencar.
E......onde sua imaginação e olhar lhe levar....
Aproveite e Seja Feliz!!!!
Aceitamos sugestões.

Turismo e Identidade/ACM/Bahia


Estilo ACM, único!!!!!!!!! Fato que aconteceu:
Num almoço na casa da Ilha de Itaparica, no dia 30 de dezembro de 97, no qual se discutia o futuro político de Luis Eduardo (se seria melhor concorrer ao governo do Estado ou a um mandato de senador para atingir o objetivo de chegar à Presidência da República em 2002), ACM foi surpreendido pela observação de um dos seus convidados sobre a queda na qualidade do tabuleiro mais famoso de Salvador. “Presidente, disseram-me que estão botando farinha de trigo no acarajé da Dinha!”, exclamou um dos correligionários. “Já estou sabendo”, respondeu ACM, com tom grave e solene. “Mandei Imbassahy chamar a Dinha para saber o que está acontecendo”. O prefeito imediatamente tomou suas providências e, numa conversa com Dinha no seu gabinete, ameaçou intervir no Rio Vermelho se ela não resolvesse o problema. A causa da crise foi uma cunhada da quituteira, que a estava substituindo na produção do acarajé temporariamente. “É a mulher do meu irmão, mas ela não vai mais botar as mãos aqui”, explicou a baiana, que agora só é substituída na barraca pelas suas duas filhas. Como na Bahia as tradições da culinária são levadas à sério, a crise do acarajé da Dinha foi tratada como uma questão de Estado, um assunto tão sério quanto a escolha do candidato a governador do grupo carlista.

Obs: Dinha faleceu dia 16/04/08 em Salvador.

Dengue e Turismo

"São Paulo, Brasil, 10 Abr (Lusa) - A epidemia de dengue no Rio de Janeiro causou uma diminuição do número de turistas estrangeiros, nomeadamente de Portugal, Espanha e Itália, disse hoje a ministra do Turismo do Brasil.
'Dengue é repelente para turistas', diz jornal argentino
A epidemia de dengue no Brasil está funcionando como "um repelente para turistas", de acordo com a edição desta sexta-feira do jornal argentino Página/12.A reportagem diz que a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira estima que as reservas turísticas de estrangeiros caíram 20% nos últimos dias."
Onde estão as nossas autoridades?
Falam que o Brasil não tem tsunami, terrorismo, terremoto, que é um País privilegiado!!! Será? E a epidemia de dengue, a seca, o desemprego, a violência?
Ninguém pode intervir?
Eliane

Brasil

"Os problemas do Brasil parecem ser os mesmos desde o descobrimento. A renda concentrada, a maioria da população sem acesso a nada. A classe média paga o ônus de morar num país miserável. Coisas que, parece, vão continuar sempre. Nós teríamos saída, pois nossa estrutura industrial até permitiria isso. O problema do Brasil é a classe dominante, mais nada. Os políticos são desonestos. A mentalidade do brasileiro é muito individualista: adora levar vantagem em tudo".Cazuza/1988
O que mudou de lá p/ cá?

Dica Livro/Maysa -Meu Mundo caiu/Eduardo Logullo


Do meu amigo: Eduardo Logullo, amooooooooo, se prepare se ele entrar um dia na sua vida voce nunca mais esquece!!!
Meu Mundo Caiu, Maysa
EDUARDO LOGULLO
"Retratar a história da cantora e compositora Maysa (1936-1977), refletindo sua personalidade veloz e polêmica, à frente de seu tempo e ao mesmo tempo envolver o leitor numa linguagem pop e contemporânea foram as intenções do jornalista Eduardo Logullo em seu livro Meu Mundo Caiu, que traz prefácio assinado por Gal Costa, uma admiradora da artista".

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Bahia por João Ubaldo!!!


"...Quem mais, senão um gênio, teria criado toda uma nação, teria dado forma, expressão e identidade a uma terra e uma cultura como a Bahia, assim legando aos baianos e aos brasileiros em geral, pois a Bahia pertence a todos os brasileiros, um patrimônio inestimável? A Bahia não pode ser compreendida — e, por via de conseqüência, o Brasil não pode ser inteiramente compreendido — sem Jorge Amado e Dorival Caymmi, esse outro gênio de quem só podemos também ter orgulho. Dois fortíssimos pilares da cultura nacional residem na obra deles e, agora que eles já abriram caminho, tudo parece fácil e até óbvio. É como na história de um ignorante que foi assistir a uma apresentação de “Hamlet” e depois comentou, decepcionado, que não passava de um apanhado de lugares-comuns: ser ou não ser, eis a questão; o resto é silêncio; há algo de podre no Reino da Dinamarca; há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe sua filosofia; e assim por diante. A Bahia desabrochou sob as mãos de artesãos amorosos e de insuperável sensibilidade, como Jorge e Caymmi. Pela primeira vez os negros, os pobres, os humildes, os marginalizados foram trazidos maciçamente, através de uma singularíssima empatia e uma riqueza narrativa incomparável, para o proscênio das nossas artes — e nunca mais a cultura nacional foi a mesma" João Ubaldo Ribeiro.

Meus eternos professores!!!

Os verdadeiros mestres constroem pessoas. É impossível sintetizá-los, eles nos ensinam, orientam, guiam. Nem os melhores livros do mundo conseguem passar ensinamentos como “professores especiais” fazem. Não se limitam na teoria, vão além nos levando a dialogar com o mundo, com a vida. Na minha caminhada, foram vários, todos importantes. Mas, existem aqueles que naturalmente são unos, na vida e na profissão. Verdadeiras pérolas do conhecimento.
Agradeço a: Prof. Borzacchiello, Prof. Crhistian, Professora Edna e Professora Valderez, meus eternos agradecimentos.
Eliane

Depoimento sobre Fortaleza/Ce


Que dizer de Fortaleza?? É um pedaço de sonho que nós brasileiros temos o grande privilégio de dizer;...É nosso e que compartilhamos com o mundo!!! Foi maravilhoso estar aí, e o melhor de tudo foi conhecer pessoas especiais como Eliane, uma pessoa que percebe as pequenas maravilhas da vida e sabe explica-las em palavras!! Que Deus te abençoe, sempre!!
Marcia Weno (São Paulo)

Museu na Bélgica

Bélgica inaugura primeiro museu dedicado à batata frita
O primeiro museu dedicado exclusivamente à batata frita abre suas portas nesta quinta-feira na cidade medieval flamenga de Bruges, a 96 quilômetros ao nordeste de Bruxelas, na Bélgica."Junto com o chocolate, a batata frita é certamente o produto que melhor caracteriza o estilo de vida belga", afirmam os fundadores do museu, Eddy Van Belle e o filho Cédric.

O museu mostra a presença do prato na produção literária e artística belga, e apresenta objetos representativos do culto à batata frita na Bélgica.Entre eles, estão grandes esculturas que tradicionalmente decoram os frietkot, quiosques dedicados ao produto, presentes em cada praça do país.A coleção também inclui equipamentos utilizados na produção da batata frita ao longo da história, além de 400 objetos antigos, entre eles uma coleção de cerâmicas incas do período pré-colombiano representando as diferentes variedades de batatas.Os visitantes poderão aprender detalhes sobre a colheita das batatas e o método de preparação que, segundo os organizadores do museu, garantem uma boa batata frita.E, se quiserem, provar pratos típicos belgas que contam com o tubérculo como acompanhamento.
Fonte("BOL - FolhaOnline - Ilustrada")


Qual seria a iguaria que mais representa o Brasil?
Onde está o Museu?

Eliane

DICA DVD/Viagem pelo Samba e pela Bahia



Dica do ano: DVD de Beth Carvalho: CANTA O SAMBA DA BAHIA
Uma viagem pelo samba e pela Bahia!!!
Perfeito, feito com uma delicadeza que nos comove. Uma verdadeira aula de história sobre o samba, a Bahia, cultura popular; com depoimentos riquíssimos de: Gilberto Gil, Caetano Veloso, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Armandinho, Cralinhos Brown, Edil Pacheco, Margareth Menezes, Mariene de Castro, Roberto Mendes, Waltinho Queiroz, Nelson Rufino, Olodum.
E os especialíssimos: DANILO CAYMMI e o querídissimo e patrimônio da Bahia, RIACHÃO, e maior a representação da Bahia a inigualável: MARIA BETÂNIA!!! Um dos melhores momentos é quando ela canta com os dois: Bethânea e Caetano, como mostra a foto acima.
Marivilhoso, não percam!!!
Eliane

Lições ETERNAS

“Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você.” (Sartre)
“Prefiro perder a guerra e ganhar a paz” (Bob Marley)
"O que fazemos na vida, ecoa na eternidade." Filme Gladiador
"Para viajar, basta existir." (Fernando Pessoa)
"Amar é querer estar perto, se longe; e mais perto, se perto." (Vinícius de Moraes)
Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é." (Caetano Veloso)
"Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, não basta ter força, é preciso também viver um grande amor." (Wolfgang Amadeus Mozart)
“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”(Rui Barbosa)
"Toda empresa precisa ter gente que erra, que não tem medo de errar e que aprende com o erro." (Bill Gates )
Buda: ”A pessoa má fala com falsidade, acorrentando os pensamentos às palavras. Aquele que fala mal e rejeita o que é verdadeiramente justo não é sábio”.

Jesus: ”O homem bom tira coisas boas do tesouro do coração, e o mau retira coisas más, pois a boca fala do que está cheio o coração"